Vivemos tempos fascinantes em que podemos constituir uma sociedade com um mínimo de capital social e de custos, adquirimos um domínio e montamos um website em vez de um escritório e contratamos a prestação dos serviços essenciais  – e a seguir atiramo-nos ao trabalho para fazer vingar a nossa ideia. Por isso mesmo, é mais fácil esquecermo-nos de tratarmos dos aspectos formais, que apenas nos fazem perder tempo e desviar a atenção do que realmente nos interessa. Até que um dia, procuramos um investidor para que a nossa ideia cresça e descobrimos que ele tem um interesse bastante grande por aquilo que apenas nos parecia “chato”. E perguntamos: Como posso tornar a minha sociedade mais atraente para um investidor?