Quem faz execuções de dívidas ou gere o desenvolvimento judicial das mesmas sabe há muito que a realização da penhora é o derradeiro momento em que o credor tem probabilidade séria de se ver ressarcido do seu crédito.

É sabido que a fase de venda só permite em termos muito residuais qualquer recuperação de créditos. E que, por norma, chegando a esta fase os custos tornam-se muitas vezes incomportáveis para o credor.

Assim, é por demais importante que mandatário, Agente de Execução e Credor/Exequente envidem todos os seus melhores esforços para cobrarem a dívida nesta fase se não o conseguiram fazer antes.

Venha saber o que é necessário preparar para conseguir fazer uma penhora de sucesso.
Compreenda como os diversos intervenientes devem actuar no próprio acto de penhora e  que meios de defesa tem o devedor ao seu dispor.

Conclua que uma penhora realizada com sucesso implica preparação, conhecimento, empenho e eficácia.