Num contexto económico fortemente subsidiário da actividade da construção civil, a crise neste sector deixou empresas, empresários e trabalhadores fora do mercado.

Impõe-se a promoção de sinergias entre os vários agentes (públicos e privados) e a reciclagem de aprendizagens, que possam representar uma mais-valia significativa nas actuais circunstâncias económicas.

Neste contexto, ganha renovado interesse a actividade de Reabilitação Urbana. Esta constitui uma aposta cada vez maior do estado central e das autarquias locais nas suas políticas, visando inverter o declínio do sector da construção e ao mesmo tempo revitalizar os grandes centros urbanos portugueses.

A Lei n.º 32/2012, de 14.08, que procedeu à primeira alteração ao Decreto-Lei n.º 307/2009, de 23.10, veio a traduzir-se numa maior simplificação procedimental na criação de áreas de reabilitação urbana e no controlo prévio de operações urbanísticas.

Venha saber como se está a desenvolver esta “nova” actividade no sector da construção.